Este é um blog de opinião. As postagens escritas ou selecionadas refletem exclusivamente a minha opinião, não sofrendo influência ou pressão de pessoas ou empresas onde trabalho ou venha a trabalhar.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Andei conversando com um "especialista".

Ontem (17), por mais que eu tenha tentado, foi impossível atualizar o blog. Culpa da Eletrovela que nos deixou sem energia boa parte do dia de ontem e que quando restabeleceu (não sei a que horas pois peguei a turma e fui correr terra), o provedor de internet não me deu suporte.
Tudo bem, a vida segue, mas bem que poderia seguir com a surpresa de ver no fim do mês a nossa conta de luz com a inédita frase: "Cinco reais de desconto por falha no fornecimento no dia 17/01". Já pensou? Vai sonhado...

Difícil foi não pensar no Haiti. Tantas imagens, relatos, a hecatombe e meus filhos ao meu lado, na segurança de um lar. Não consigo imaginar a dor de um pai, ou mãe, em saber que seus filhos estão soterrados embaixo de um monte de pedras...

Estive conversando com um "especialista" e ouvi dele uma explicação para o terremoto que nenhum especialista tinha pensado. Para ele tudo não passa da "ira de Deus contra os pecadores e é apenas o começo". Por que converso com pessoas assim? Pois é...

A "ira" de Deus? Pode ser, mas acredito que depende do tipo de Deus que é o seu ou da sua crença religiosa. 
Para mim, o que ocorreu ali foi um fenômeno natural, apenas isso, nada de castigo, punição, até porque tem país por aí que é especialista em massacrar as criaturas de Deus, seja na América, seja na Africa, seja na Ásia.

Um castigo? Se as cidades de Pompéia, Herculano e Estábia em 24 de agosto de 79 (ver mais em: http://www.starnews2001.com.br/pompeia.html), fossem cidades com populações iguais a Porto Príncipe o desastre seria parecido.

O terremoto no Haiti foi um fenômeno natural muito agravado pelo tamanho da cidade, pela miséria e pela urbanização do mundo.
As duas bombas atômicas sobre o Japão em 45 foi um fenômeno humano gerado pela loucura e pela ambição capitalista.
Foi um fenômeno natural, não acho que seja hora de conjecturar sobre doutrina religiosa, muito menos de se colocar acima do bem e do mal, de criticar os haitianos por suas crenças que pelo que sei em muito se assemelha ao Brasil pela proporção de católicos romanos (64%, no Brasil é 76,8% segundo dados do IBGE).

"É apenas o começo"... Começo de quê? Como pode um sujeito se gabar de ser cristão e não sentir as dores de um povo, de não se sensibilizar diante da tragédia?

É o começo sim, da solidariedade humana, pois todos os países se uniram em prol da ajuda humanitária. Até estadunidenses e cubanos esqueceram um pouco a rivalidade. Isso não é positivo?

Porque é "a ira de Deus contra o pecado", devemos deixar os haitianos morrerem de fome e nos trancarmos em nossas igrejas, procurando textos em nossos livros sagrados para justificar o apocalipse? Felizes por sermos "retos", por estarmos do lado da "verdade"? Que verdade, heim...?

Somos todos passageiros do mesmo barco, cristãos (certos ou errados, adoradores de imagens ou não), judeus, muçulmanos, ateus...

Fala-se muito, atualmente, em aquecimento global e mudanças climáticas. Não foi o que ocorreu ali. Há milhões de anos que a Terra sofre transformações, abalos sísmicos, temporais, tsumanis. Há 10.000 anos o estrago seria mínimo, mas hoje, com a superpopulação...


Uma imagem da catástrofe me causou uma grande impressão: É o enorme crucifixo sobre os escombros da catedral de Porto Príncipe. Por quê foi poupado? Pense o que quiser, mas por favor não diga que foi o demônio que a salvou.  Foi salva por um milagre e pronto.
Foi um milagre de tamanho igual a tantos ali, salvos entre os escombros, pessoas soterradas aguardando salvamento. É uma prova, para os que tem e para os que não tem fé. Pode ser um grande sinal, pode ser uma grande coincidência. Pode ser...
 
Vamos parar com essas manias de ficar pregando o fim do mundo, de marcar datas para o apocalipse. Vamos viver, da melhor maneira, sem querer o céu só para si, sem se achar impune. O céu deve ser um lugar imenso, onde será possível encontrar quem sabe algum judeu, algum muçulmano, talvez até algum católico...

2 comentários:

viviane lima disse...

olá, texto bastante coerente de opinião sensata, é inacreditável que diante de tanta misérias existam tantas pessoas mesquinhas que ao invés de solidariedade , tem é mais desastre a acrescentar...
mas enffim, essa cruz intacta é d fato impressionante...
muita luz pra todos!

Terra Náuas disse...

Amigo, mais uma vez o seu humanismo supera de longe qualquer baboseira pseudo-religiosa. Arrisco o mesmo palpite que o seu: Se Deus teve alguma coisa a ver com este terremoto,foi para ver unidos os povos em prol da solidariedade, coisa que religião nenhuma conseguiu até hoje, pelo contrario, só tem dividido as pessoas por meras "picuinhas"(como a questão das imagens).