Este é um blog de opinião. As postagens escritas ou selecionadas refletem exclusivamente a minha opinião, não sofrendo influência ou pressão de pessoas ou empresas onde trabalho ou venha a trabalhar.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Persistência da memória.


Hoje acordei lembrando do Salvador Dali. O horário, o tempo, a coerência, a incoerência... Ptz, isso é filosofia, cruz credo!

Encerrou hoje (pelo menos na esfera política) a discussão sobre a mudança na hora legal do Estado do Acre e partes da Amazônia. 

Não adiantou a tentativa de alguns pilantras em politizar a questão e enganar a população. 

Sempre falei que apesar de não ter sido consultado na época da mudança e ter ainda hoje um relógio (guardado) com o antigo horário, percebi que o novo (que temos hoje) apresentava mais vantagens que desvantagens. Graças a Deus, sou um ser humano acessível a mudanças. Não gostei a princípio, mas a experiência e o tempo me convenceram que eu estava enganado.

Politizando o tema como fizeram na época do referendo, muitos “maria-vai-com-as-outras”, optaram pelo NÃO só por birra. Alguns daqueles “NÃOs” hoje já seriam SIM, e quantos...

O referendo praticado só no Acre era anômalo. Mas a lei também foi, pois decidiu a vida de paraenses e amazonenses sem consulta, diriam alguns. Sim, é verdade, mas a população dessas áreas (que tem deputados e senadores também) não viu uma “afronta à cidadania”, muito menos esses deputados e senadores não viram no tema um veio político. 
Alguns candidatos acreanos se apegaram à mudança de horário e ao referendo como um náufrago se agarra a um tronco. E alguns sobreviveram.

Taí, se o povo os elegeu para manifestar sua insatisfação com a lei da mudança de horário, alegando que foram “traídos”, agora é que foram mesmo, pois suas maritacas estridentes não cumpriram as promessas vociferadas nos palanques.

O retorno ao antigo foi vetado (o veto foi assinado pelo Vice Presidente Michel Temer que curiosamente é do PMDB que é o mesmo do deputado autor do projeto do referendo) e sabem por quê? Por barbeiragem no projeto, veja a explicação no 

“O referendo no Acre não podia decidir pela vida de amazonenses e paraenses. A consulta deveria ter sido realizada nos três estados. Os autores do referendo enganaram os acreanos”. (Deputado Moisés Diniz)

2 comentários:

Terra Náuas disse...

Eu concordo com quase tudo q vc falou meu amigo, principalmente da barbeiragem cometida pelo projeto da oposição. Agora o que não passa pelo meu "gurgumim" é o fato de que tudo isso começou pq os Viana quiseram atender aos interesses da Rede Globo e conseguiram a toque de caixa aprovar o projeto que obrigou milhares de pais a terem que acordar seus filhos no escuro. Estou cada vez mais desapontado com os politicos que ajudei a eleger: é J. Viana defendendo interesse de pecuaristas, Dilma botando pra lascar em cima dos índios e aqui a FPA de braços e abraços com pecuaristas e madereiros e a propopsta origina do estado virando uma peça de marketig para a Compania de Selva enxer o rabo de dinheiro.

Unknown disse...

E então combatente, estou de volta p "xeretar", e acompanhar as notícias da terra, embora vc n tenha respondido meu e-mail. Bem, eu já acordo todo dia 5:00 da manhã mesmo? Acho q n iria estranhar se estivesse aí. Contudo a politicagem é cruel...